Bloco do Beco 2004

Enredo: Cantando pra não chorar

Uma mão lava a outra. Quem avisa amigo é.

por Ely Manoel Rosa

Esses ditos que dobram ruas e adentram os becos são motivos de poemas de sobra e beleza rara. Ouça um bom conselho… de graça. Quem canta não chora. Portanto, é o nosso lema para o carnaval 2004 seguir Cantando Pra Não Chorar.

Nenhum povo é mais feliz neste plante. A onda do carnaval arrasta multidões para o samba. É o acontecimento mais feliz da história da humanidade.

O brasileiro herdou a tropicalidade dos índios tupis. Em miliquentos, quando as embarcações európeias aqui chegaram, os portugueses encontraram o povo mais feliz que já se tinha visto. Começou a nascer gente. Vieram os escravos. Depois orientais. Fomos misturando, agigantando, crescendo, construindo uma nação, um povo com coloridos herdados dos índios americanos e dos negros africanos. Constituímos sólidas expressões culturais, as mais grandiosas deles, sem dúvida, o carnaval. No mar da folia afogamos todas as nossas mágoas. Os outros países não entendem, enquanto Bush´s jogam pessoas para morrer na fogueira da guerra, o Brasil, um país de rico folclore, canta nas ruas para não chorar: é a antitristeza. Aos amigos que um um dia vão embora, fé mineira de reencontro, até breve.

Este ano, Cantando Pra Não Chorar é uma antologia, uma saudade de tempos de sambas consagrados, uma feliz lembrança, alô Djalma, Gilson, Nelson Silva, G. Souza, J. Medeiros, Mamão, Cézar Itaboraí, Tonhão. Olha quem vem lá, Brasil, país alegria, é o beco com o dito de cantar pra não chorar.

 

Samba de Enredo

Autores: Mamão e Tonhão

Depois que um palhaço brinca e salta
Fazendo a plateia gargalhar
Num canto bem distante de ribalta
Seu drama, doloroso vai chorar

Chora, palhaço!
A vida não é de brincadeira
Chora, palhaço!
A função do circo termina na quarta-feira

Vem, minha gente!
Quem canta manda a tristeza pra lá
Viver cantando
É um jeito de ser feliz
Cantar a cada novo amanhecer
Olhar o infinito e agradecer
A vida a alegria de viver

Olha, quem vem lá:
Trazendo a alegria no olhar
Olha, quem vem lá
É o beco cantando pra não chorar

La, laia, laia
Lá, laia, laia
É o beco cantando pra não chorar