Carnaval 1972

Em 1972, a organização dos desfiles é aprimorada. Foi criada a comissão de cronometragem, garantido horários aos desfiles. Nos desfiles das Escolas de Samba a Juventude Imperial conquista o tri-campeonato e a Turunas do Riachuelo retorna aos desfiles depois depois de seis anos sem desfilar. Nos desfiles de blocos, Partido Alto conquista seu primeiro título. Confira o que publicaram os jornais e revistas da época:

Foi um dos melhores o carnaval de Juiz de Fora no ano 72. Com muita animação e acima de tudo com muita organização, o carnaval externo ganhou colorido diferente nos desfiles, desda a sua primeira noite no sábado, até a terça-feira, qando tivemos então o último desfile das Escolas de Samba. Tanto os blocos como as escolas escolheram bem seus temas enredos para os sambas e com fantasias originais, puderam levar ao bom público que acompanhou os desfiles uma festa de cores, graça e originalidade. A grande surpresa das Escolas de Samba, na noite de domingo, foi a apresentação do Castelo de Ouro, que mostrou que veio em 72 para disputar de igual com as outras concorrentes.Juventude Imperial confirmou a expectativa e partiu firme para conquistar o tri-campeonato. Outra boa apresentação ficou a cargo da Feliz Lembrança. Com grande entusiasmo voltou este ano a Turunas do Riachuelo, apresentou novidades com seis surdas que giravam automaticamente a cada batida.” publicou o jornal Diário Mercatil, no dia 17 de fevereiro de 1972.

Duas inovações do Departamento Autonomo de Turismo de Juiz de Fora (DAT) foram as principais causas do êxito alcançado pelo carnaval de rua, nas quatro noites de desfiles de blocos carnavalescos e escolas de samba: a Comissão de Cronometragem e Comissão de Coordenação. Durante anos o grande público que prestigiava o desfile oficial da Avenida Rio Branco foi prestigiado pela falta de organização do concurso, principalmente no que se refere ao grande atraso de exibição entre um e outro órgão carnavalesco. Este ano tudo funcionou absolutamente dentro das previsões da equipe do Departamento de Turismo.” opinião publicada no periódico O Lince, em março de 1972.

Domésticas de Luxo como nos anos anteriores, contou com quase 50 elementos, todos trajando camisa lilás e branca, calça verde e tenis branco, foi um dos fortes da apresentação. A predominância da cor foi evidente por parte das Domésticas de Luxo, cujas as primeiras alas e apresentaram com uma fantasia bastante vistosa, já que sobre a malha preta os passistas tinham um avental branco, um vestido vermelho e meias brancas, levando na cabeça uma peruca comprida nas cores amarela, azul, branca, coral, verde, etc. e na mão uma vassoura, que era trocada entre os integrantes, em movimentos ritmados.”, ralatou o jornal Diário da Tarde, 17 de fevereiro de 1972.

Enredos

Escolas
Juventude Imperial: “Um presente para o Rei” – Autor: Edson Moreira Filho
Feliz Lembrança: “Brasil Hospitaleiro” – Autores: Odilon de Oliveira e Feicio G. de Oliveira
Castelo de Ouro: “Festas Brasileiras” –
Turunas do Riachuelo: “Brasil Gigante”

Blocos
Unidos dos Passos: “Ordem do Rei”
Partido Alto: “Festão do Serro”
Domésticas de Luxo: “Mal entendido”

Sambas de Enredos

Download das letras

Resultados

Escolas
1° Juventude Imperial
2° Turunas do Riachuelo
3° Castelo de Ouro
4° Feliz Lembrança

Blocos
1° Partido Alto
2° Unidos dos Passos
3° Rivais da Primavera
4° Não venhas Assim
5° Acadêmicos Luzianos

Fotos

Fonte: Diário da Tarde, Diário Mercantil e Revista O Lince

Desfiles

2010 - 2011 - 2012 - 2013 - 2014 - 2015 - 2016 - 2017

2000 - 2001 - 2002 - 2003 - 2004 - 2005 - 2006 - 2007 - 2008 - 2009

1990 - 1991 - 1992 - 1993 - 1994 - 1995 - 1996 - 1997 - 1998 - 1999

1980 - 1981 - 1982 - 1983 - 1984 - 1985 - 1986 - 1987 - 1988 - 1989

1970 - 1971 - 1972 - 1973 - 1974 - 1975 - 1976 - 1977 - 1978 - 1979

1966 - 1967 - 1968 - 1969