Nascida na cidade de Santos Dumont no dia 14 de outubro de 1931, Dionysia Moreira apresentou-se pela primeira vez na rádio PRB-3 em 1950, no programa “Fazenda do Fundão”, apresentado por Sebastião de Matos. Em 1954, tendo, tendo vencido o concurso promovido pelo radialista José de Barros no programa “Soirée Feminina”, foi contratada como cantora profissional da PRB-3. Já em 1956 conquistava o prêmio de melhor cantora da cidade, tendo sido reeleita em 1957. Em 1958, Dionysia casou-se e abandonou o meio radiofônico. Com o falecimento de seu marido em 1978, ela voltou a nos brindar com seu talento, apresentando-se a partir daí na Televisão Industrial e também em diversosespaços da cidade. De 1985 até 2001 foi crooner do conjunto “Partido Alto”, tendo atuado também por um curto período de tempo na tradicional orquestra juiz-forana “Cassino Royale”. Desde 1996,Dionysia participa do Pró-Idoso, projeto da Prefeitura, tendo sido eleita por três vezes a Rainha do Bloco“Recordar é Viver”. Em 2012, recebeu da Câmara Municipal de Juiz de Fora a Medalha NélsonSilva, concedida para pessoas que “senotabilizaram na produção e difusão dasmanifestaçõesartístico-culturais e sociais da raça negra”. Conquistou em 2013 oprêmio de melhor intérprete no Terceiro Concurso de Marchinhas Carnavalescas de Juiz de Fora – Prêmio João Cardoso, tendo lançado no mesmo ano um CD, no qual apresenta músicas de seus contemporâneos Alfredo Toschi,Juquita, Nélson Silva e Djalma de Carvalho, além de canções mais recentes de Armando Aguiar, Toinho Gomes, Roger Resende e Kadu Mauad. Foi uma das protagonistas do documentário musical Toque de Samba, de 2014, dirigido por Mariana Tavares e Vannessa Resende. Aos 84 anos de idade, Dionysia continua em plena atividade, participando de shows e gravações.