Mamão é um cara bacana, mas diz que tem um defeito: ser fiel a quem lhe trata mal. Mentira. Não conheço quem lhe trate mal. Também pudera. Tratar mal um sujeito que sonha com uma vitrine, forrada de veludo, onde estão Paulinho da Viola (tanto do tanto, as sandálias que ele pintou com as cores da Portela e a bandeira do querido tricolor é um tanto difícil. Mais difícil ainda é tratar mal um cara que idealiza um barraco – seminovo, forrado de esteira – onde um sabiá para cantar quando o amor amanhecer. Impossível é não tratar bem quem inventa imagens ao mesmo tempo tão simples e belas como a do confete que detém o pranto no olhar.

Armando Fernandes Aguiar, filho do seu Nelinho (cuidado, meu filho, que a bruxa te pega!), mineiro de Juiz de Fora, é, na verdade, um grande poeta popular, dos grandes deste país tão rico musicalmente. Como tão bem descreveu um parceiro César Itaboray, com “um jeito próprio de fazer samba, um pouco rouco (mas só um pouco)”, Mamão não dá o tom nem o andamento, não carrega nem toca nenhum instrumento”, mas é autor de algumas jóias, como as que estão nessa caixa, e é também uma espécie de grande comandante do samba da sua ciadade.

Nem o “estouro” de “Tristeza pé no chão”, na voz suave de Clara Nunes, tirão Mamão dos becos, da poesia e da simplicidade de sua Juiz de Fora. Isto torna ainda mais necessidade uma iniciativa como deste CD. Com o auxilio luxuoso de músicos maravilhosos, está aqui uma parcela de uma obra extremamente rica. É claro que ficaram de fora preciosidades como “Adeus diferente”, “Arvoredo”, o “Samba da Bronca”, o “Monteiro Lobato”, o “Beco do Baltazar”… mas isto é assunto pro volume 2.

O que interessa é que você tem razões de sobra, espalhadas por 13 faixas para começar a descobrir Mamão. Ou para conhecê-lo melhor.

Faixas do CD

1- Falou e disse
2- Samba do aniversário
3- O beco não perde o tom
4- Botei seu nome na bandeira
5- Sete costados
6- Endereço
7- Amor nem pensar
8- Ao amigo toninho
9- De sapato branco
10- Decisão
11- Cordão de metal
12- Paulinho tanto tanto
13- Vila Furtado
14- Tristeza pé no chão