Parangolé Valvulado 2018

Enredo: Getúlio of my life

“Segundo um dos fundadores, o músico Angelo Goulart, que comanda a bateria do bloco, a reverência surgiu ainda no carnaval passado. “No final do desfile do ano passado, terminamos com o tema praticamente escolhido, porque foi a avenida que nos permitiu voltar a andar”, diz, referindo-se, também, à ideia de Walter Benjamin acerca do flâneur, tipo frequente numa rua onde deslocar-se a pé pode ser mais rápido do que sobre rodas. “É meu caminho de quase todos os dias. Não tenho carro, sou um pedestre, e a Getúlio é sempre opção do meu trajeto. Se posso escolher entre ela e a Rio Branco, escolho a Getúlio. No meu modo de ver, é uma avenida discriminada. Ela recebe pouca atenção do Poder Público, justamente porque por ali circulam as pessoas mais pobres. Ela está sempre cheia porque tem um fluxo de consumidores, está sempre pulsando”, confirma Roger Resende, um dos vocalistas do Parangolé.” Tribuna de Minas, 04/02/18

Frevo

Parangolé
Hoje tem lugar para desfilar no carnaval
Na Getúlio Vargas,
O babado é doido mas a escola é normal

E no DCR, Mosh e biritia
Na noitada Rock and Roll
Nicho de amor por toda a avenida
Aqui não tem pecado o carnaval já começou

Válvulas vão afinando nossa vibração
Apoteose entre a Halfed e a são João

Minha Getulhão é coração
Da diversidade e tolerãncia
Carro e busão, camelô e confusão
E uma canção em dissonância

Todo mundo passa
Nessa babilônia que recebe os caminhos
Todo mundo junto tolerando seu vizinho

E o nosso frevo
É um arco-irís colorindo a cidade
Do chapelão até o Mascarenhas
Nós vamos transbordando alegria, paz e amor

Avenida Getúlio Vargas
E no afalto queimando agora
Inesquecível com seus monumentos
Ôhh que gloriosa

Uh! Uh! Parangolé! Uh! é nóix aqui (4x)

Na praça cercado por pobres poderes
Vm nosso grito a todo vapor

De bloco em bloco em bloco
A tristeza vai embora

De bloco em bloco em bloco
A tristeza vai embora

De bloco em bloco em bloco
A tristeza vai embora