turunas por Márcio Gomes

Entre os muitos expedicionários brasileiros que combateram na Europa durante a Segunda Guerra Mundial, estava José Luiz Ferreira, soldado nº 314 da Força Expedicionária Brasileira, integrante da Escola de Samba Turunas do Riachuelo.
Em carta endereçada a Ministrinho, (“o maioral do samba local”, segundo reportagem publicada no Diário da Tarde do dia 02 de dezembro de 1944), o simpático e alegre Ferreirinha assim escreveu: “No momento de folga… um pandeiro, uma surda, um cavaquinho , uma cabaça e então os nossos sambas (que saudades deles!) renovam o êxito e arrancam elogios, aplausos e “bis” nos setores onde existem nossos grandes amigos americanos e ingleses. Mas tem que ser: os “Turunas do Riachuelo” abafam em qualquer lugar e brilham até na guerra… Só vendo como os nossos sambas mexem com a turma daqui”.